19/06/2015 - 09:21

Perspe(c)tivas com Carla Rodrigues Cardoso / Mental

cronicas-cc-perspectivas700

Mental

Na quarta-feira, um dos dados revelados pelo último relatório do Observatório Português dos Sistemas de Saúde dava conta das dificuldades que atravessa o setor da saúde mental. “O que os olhos não veem, o coração não sente”, diz-se. Talvez por isso seja tão difícil lidar com a doença psiquiátrica. Não há um local do corpo para o qual se aponta e diz, “dói aqui”.

As reações habituais dividem-se em dois campos. Ceticismo, quando se trata de uma condição pouco grave, como o início de uma depressão, por exemplo. “Ah! Isso passa, não te preocupes, não é nada!”, são as frases do costume, por norma acompanhadas de uma palmadinha nas costas e um pensamento do tipo, “mas que queixinhas, problemas temos todos!”. No caso de uma doença grave ou crónica, surge o medo e o repúdio. Foge-se ao contacto com quem é, quase de imediato, apelidado de louco.

Sobre esta atitude generalizada, a Clínica de Saúde Mental do Porto tem uma frase de alerta: “Todos ‘podemos’ afirmar quem é doente mental, mas não estamos imunes à doença mental”. Mesmo assim, por receio das reações, quem sofre de patologias deste foro tende a escondê-las. E, para além de ocultarem o que os atormenta, ainda os assola a vergonha de estar ou ser doentes. As razões são óbvias e qualquer professor já as constatou em sala de aula. Risinhos, olhares entre a pena e o escárnio, o afastamento com que habitualmente a turma presenteia quem não é “normal”.

Sexismo, racismo, xenofobia e homofobia são exemplos de discriminação felizmente debatidos e combatidos há vários anos, pelo menos na sociedade ocidental. Falta olhar com mais atenção para o duplo gueto onde vivem os doentes mentais: afastados do mundo e pelo mundo.

 

Diretora da Licenciatura em Comunicação e Jornalismo
Investigadora do CICANT - ECATI 
Coordenação Geral da Redação LOC

Subscreva às Crónicas do LOC (RSS)

Lido 1414 vezes Modificado a 20/01/2016 - 14:03

Parceria

logo-parlamento

Acordo Ortográfico

Os suportes comunicacionais do LOC são produzidos ao abrigo das regras estabelecidas no Acordo Ortográfico de 1990 e posteriores protocolos modificativos.

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS